Google Translator

sábado, 20 de agosto de 2011

Faça-voce-mesmo: Análise Funcional

A análise funcional é um método básico de entendimento do comportamento.Ele consiste em avaliar as variáveis ambientais que afetam o comportamento e suas características.As variáveis ambientais são as variáveis independentes(terminologia usual de um contexto de pesquisa científica), e portanto são aquelas variáveis que são entendidas como influenciadoras de um determinado comportamento e que são investigadas através de sua manipulação.Já o comportamento ou suas características, são as variáveis dependentes, que são causadas ou modificadas pelo efeito do ambiente.O ambiente pode ser interno ou externo ao organismo mas ele é sempre externo ao comportamento. Isso se da por uma razão bem simples,nenhum evento pode causar a si mesmo.

Etapas:


  1. Escolher o Organismo(s):Nessa etapa, o organismo a ser estudado deve ser escolhido.Esta etapa pode vir antes ou depois da etapa ‘Escolher Comportamento’ , mas sempre deve se ter uma noção das características do organismo que será estudado.Por exemplo, o ser humano normalmente precisa de um instrumento ou máquina para ter o comportamento de voar, portanto seria um tanto quanto inútil escolher este comportamento(voar sem instrumento específico para tal) para ser analisado, no caso do homem.


  2.  Escolher Comportamento(s): Essa etapa visa escolher o comportamento a ser analisado.Ela pode ser precedida de uma observação do comportamento, para escolher comportamentos específicos que o organismo adota ou comportamentos que ele deveria adotar e não adota, mas também pode ser feita sem essa observação.No caso de se fazer uma análise funcional de estudantes, um professor, pode por exemplo, escolher o comportamento de estudar.
             


  3. Observar o ambiente e comportamento: Esta etapa consiste em observar o que ocorre, antes, durante e depois das ocorrências do comportamento escolhido.Também é importante observar situações em que não ocorrem o comportamento escolhido e onde se localizam os eventos ambientais em relação ao organismo.Certos eventos, que não entram diretamente em contato com o organismo não fazem parte da análise pois não podem influenciar diretamente o comportamento dele.Por exemplo, no ataque as torres gêmeas, os noticiários podem ter influenciado quem os viu, mas a queda das torres gêmeas só influenciou diretamente que estava presente na cena do acontecimento.


  4. Análise das variáveis:Após observação e registro da ocorrência, busque verificar as relações espaço-temporais entre as variáveis ambientais e as variáveis comportamentais, ou seja entre os eventos ambientais e suas característica e o comportamento e suas características.Por exemplo, ao observar o comportamento de dançar numa boate, posso observar que durante uma música de ritmo mais lento, as pessoas tendem a mexer menos os braços e pernas durante a dança.Talvez algumas podem até dançar menos.É importante avaliar também a probabilidade de ocorrência do comportamento, e com quais características é mais provável e/ou freqüente a ocorrência do comportamento escolhido.Lembrando que o comportamento altamente freqüente, não é necessariamente o mais provável.Por exemplo, supersticioso de alguém comprar um amuleto de sorte pode ser pouco freqüente, mas pode ser altamente provável.(Compra-se uma vez só e espera para comprar outro amuleto, quando perder o antigo) 



Vídeo breve de uma análise de contingências:

3 comentários:

  1. Texto excelente, Pedro!!

    Continue postanto

    ResponderExcluir
  2. gostei muito tb, esse texto está me auxiliando muito

    obrigada :D

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...